Tech neck e os perigos para a pele dos seus pacientes

Passar praticamente a maior parte do dia no celular já virou hábito. Muitas pessoas ficam quase 2/3 do dia olhando o celular. E com a pandemia do novo coronavírus, que trouxe o isolamento social, o smartphone acabou virando mais uma forma de distração. 

Apesar da tecnologia trazer benefícios, também acaba afetando a saúde negativamente. O uso de dispositivos móveis está acelerando o processo de envelhecimento em uma região difícil de tratar com cremes: o pescoço. 

Conhecido como tech neck,  esse termo surgiu com a imprensa especializada americana e tornou-se uma das novas preocupações mundiais em skin care, pois o constante dobramento da pele do pescoço, em movimentos repetitivos para olhar o celular,  tem aumentado a procura por tratamentos preventivos e corretivos das rugas e linhas do pescoço.

“A inclinação frequente da cabeça para baixo para olhar o celular, tablet ou outro dispositivo acelera o processo de envelhecimento no pescoço e isso foi citado inclusive por um estudo da Universidade de Chung-Ang, na Coreia do Sul, sobre uma nova técnica para rejuvenescer a pele da região. O artigo dizia que mulheres a partir dos 29 anos já apresentam vincos nessa área, enquanto o natural seria depois dos 40. O estudo também apontou que, recentemente, o número de pacientes com rugas do pescoço vem aumentando. Além disso, um número crescente de pacientes jovens apresentou essa condição, possivelmente devido ao efeito da postura que eles adotam ao olhar para baixo quando usam smartphone ou outros dispositivos. Esses movimentos repetitivos formam sulcos, como se fossem “colares cervicais” nessa região”, afirma a Dra. Claudia Marçal, médica dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), da American Academy Of Dermatology (AAD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD).

Como tratar?

Segundo a Dra. Fernanda Nichelle, médica pós-graduada em dermatologia, os tratamentos indicados para as rugas tech neck incluem o laser, bioestimuladores de colágeno, skinbooster, microagulhamento robótico e uso de produtos tópicos específicos.

“Porém, é muito importante orientar aos pacientes sobre a postura e prevenção. Vale lembrar que essa recomendação é individual, pois somente um médico capacitado e atualizado é capaz de diagnosticar o tipo de problema e indicar o procedimento mais eficaz para o caso”, aponta.

Dra. Fernanda também chama atenção com relação às crianças e adolescentes que costumam passar horas na frente das telas. “Quanto mais tempo de exposição aos dispositivos, maior o prejuízo, já que as rugas posturais tendem a se intensificar com o passar dos anos ”, acrescenta.

I´m V-Tox patch: inovação para o tratamento das rugas tech neck

Além das recomendações da Dra. Fernanda, outro tratamento efetivo para as rugas tech neck que você pode oferecer aos seus pacientes é máscara I´m V-Tox patch, primeira indicada para flacidez da região da papada e pescoço, e redução das medidas submentonianas. Também atua na diminuição da dor após aplicação de enzimas, fios de sustentação ou cirurgia para ajuste do contorno da mandíbula e, ainda, conta com fortes hidratantes. Ótima opção não invasiva de procedimento para ter em seu consultório.

A prevenção é necessária

Dra. Claudia complementa mostrando dicas importantes para serem repassadas aos clientes. A primeira delas é, ao mexer nos aparelhos, manter a cabeça ereta, sem inclinações, e a postura alinhada. O celular deve ser erguido na direção dos olhos.

Quando o assunto são os cuidados diários, Marçal indica sabonetes neutros ou loções de limpeza à base de ativos calmantes. “As loções tônicas vêm na sequência e vão preparar a pele para receber o sérum tensor que pode conter Hyaxel, ácido hialurônico de baixo peso molecular, antioxidantes, vitaminas e glicosaminoglicanas, além de substâncias que recuperem a volumetria da região como Adipofill e Sculptessence”, conta. 

O protetor solar, que também deve entrar na rotina de prevenção dos seus pacientes, deve ter FPS 30 no mínimo e ser reaplicado após quatro horas no dia a dia. 

“À noite, a região, após a higienização, pode receber água termal em jatos e após alguns minutos, usar vitamina C na forma de sérum, emulsão ou espuma associada a outras vitaminas como B5, E, F e alfa hidroxiácidos, alternando com nutritivos”, explica.

A dermatologista acrescenta que a área é quase sempre esquecida, mesmo para quem tem o hábito de cuidar do rosto. “A própria característica local somada às agressões ambientais como água quente, frio, poluição, ar condicionado, sol, vento e o uso de perfumes contendo álcool e bijuterias (que podem causar hipersensibilidade local e alergias), podem provocar ainda mais ressecamento, vermelhidão e mudança da textura da região”, conclui.

Oriente seus pacientes!

Quer saber mais sobre tudo o que a Ensofill pode oferecer ao seu consultório? Acesse já nossa área de produtos e conheça nosso portfólio!

Créditos da imagem: Tomwang112/iStock.com

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *