Pele: como a pandemia afetou o maior órgão do corpo humano?

Pele: como a pandemia afetou o maior órgão do corpo humano?

A pandemia da covid-19 mudou a vida de muita gente. Além das perdas de amigos e familiares, do medo e da aflição de poder ser contaminado pelo vírus, rotinas foram transformadas por conta do maior tempo em casa durante a quarentena, com o acúmulo de várias funções. Um período atípico e decisivo em diversos aspectos, inclusive para a aceleração do envelhecimento da pele.

Em casa, as pessoas estão vivenciando mais estresse, descontrole da dieta, menor prática de atividade física e insônia, e tudo isso interfere na expressão dos genes. “Principalmente aqueles ligados a uma maior inflamação, a uma menor produção de antioxidantes naturais e os que estão envolvidos no processo de envelhecimento do organismo como um todo, inclusive a pele”, explica o Dr. Marcelo Sady, geneticista, pós-doutor em Genética e diretor geral da Multigene. “Essa desregulação dos hábitos saudáveis mexe, por exemplo, com a expressão de genes como AGER e GLO1, que estão relacionados a um menor combate do fenômeno de glicação (ligação do açúcar com as proteínas de colágeno com consequente envelhecimento da pele), e com o aumento da ingestão de açúcar durante a quarentena, a pele pode envelhecer ainda mais”, acrescenta. 

O Dr. Mário Farinazzo, cirurgião plástico membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), também explica que o estresse, além de ser prejudicial para a mente e sistema imunológico, pode afetar a qualidade do sono e, consequentemente, da pele. “O corpo precisa de descanso para se restabelecer depois das atividades do dia a dia e o sono é o responsável por essa função, restaurando a pele e outros órgãos do corpo. Logo, quando não se dorme bem, não permitimos que as células sejam renovadas, o que altera o aspecto da pele e predispõe o aparecimento de rugas”, diz.

Interrupção nos tratamentos

Pacientes que realizavam tratamentos médicos com tecnologias para definição de músculos, redução de medidas e combate ao envelhecimento facial, por exemplo, interromperam as sessões devido ao fechamento temporário das clínicas ou mesmo pelo receio de sair de casa quando o isolamento foi afrouxado. Para esses casos, a orientação profissional sobre outras opções de tratamento para rejuvenescimento pode fazer toda a diferença. 

“É sempre importante conversar com o paciente, caso ele não se sinta confortável em sair de casa. Quando um tratamento com laser para manchas é interrompido, por exemplo, para manter os resultados a pessoa pode usar em casa o ácido retinóico e o tranexâmico para poder manter o clareamento das manchas”, afirma o Dr. Abdo Salomão Jr., membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Na contramão dos que têm apreensão de sair de casa em plena pandemia, mesmo que para manter os cuidados com a pele, muitos aproveitaram a reabertura dos consultórios e clínicas para buscar por cirurgias estéticas, como a rinoplastia, influenciadas pelo que ficou conhecido como “efeito zoom” – em referência ao aplicativo de videochamadas Zoom, conforme explica o cirurgião plástico Dr. Paolo Rubez, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, especialista em Rinoplastia Estética e Reparadora e mestre em Cirurgia Plástica pela UNIFESP. 

“O efeito zoom tem relação com o excesso de videochamadas para quem trabalha em home office, que nos fez perceber mais o que queremos mudar no nosso rosto. Esse efeito virou uma ‘epidemia’ em diversos países do mundo. Antes era comum observar o rosto no espelho, mas com as constantes videochamadas estamos mais em contato com nossa face em expressões e movimentos. E isso nos faz perceber muitos detalhes que talvez não agradem e que podem deixar o nariz em evidência e desarmonia, por exemplo”, esclarece.

Uso incorreto de cosméticos

A insatisfação com a aparência da pele também fez com que durante a pandemia pacientes apostassem em medicamentos e cosméticos sem orientação dermatológica, prejudicando ainda mais o aspecto da derme. Na tentativa de acertar, quem investiu em ácidos e retinoides pode ter sofrido na pele com a aceleração do envelhecimento, já que esses ingredientes podem provocar irritabilidade, vermelhidão, coceira, hipersensibilidade e até queimadura, quando mal utilizados. De acordo com a farmacêutica e  cosmetóloga Mika Yamaguchi, oferecer consultas por telemedicina é uma das melhores saídas para que os profissionais mantenham os pacientes orientados, a fim de prevenir o uso errôneo de produtos. 

Viu só como a pandemia do novo coronavírus contribui para o envelhecimento da pele? Mas, nem tudo está perdido, oriente seus pacientes e tenha em seu consultório os melhores produtos para os mais diversos procedimentos. Venha ser cliente Ensofill. 

Crédito da imagem: Christopher Ames – iStock

1 responder
  1. Marina Silva
    Marina Silva says:

    Postagem muito boa. Acabei de descobrir seu blog e
    gostaria de dizer que gostei muito de olhar seus posts. Em
    qualquer caso, vou subscrever o seu feed RSS e espero
    que volte a escrever em breve. 🙂

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *