Melasma: quais tratamentos oferecer em sua clínica?

O melasma é uma das condições que pode trazer mais clientes para o seu consultório já que uma das suas principais características são as manchas escuras na pele, especialmente na face. É muito frequente em mulheres, mas a doença pode ser vista em homens, conforme explica Dra. Angélica Pimenta, dermatologista e tricologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

De acordo com Dra. Angélica, o melasma é uma patologia muito inestética e, com o passar do tempo, começa a pigmentar ainda mais chegando ao ponto em que os pacientes não conseguem esconder com maquiagem.

“Quanto mais profundo, mais pigmentado, fator que acaba afetando a autoestima dos acometidos, visto que existe uma tendência de pigmentação em várias áreas do rosto, colo, braço entre outras. Assim, é fundamental recomendar aos clientes para fazerem o tratamento preventivo e, também, manterem ciclos diferentes de cuidados para controlar o melasma”, salienta.

Tratamentos para melasma 

Segundo Dra. Angélica, o tratamento irá depender da profundidade do melasma. Após realizar uma avaliação, o dermatologista deve montar protocolos específicos para cada paciente. Os métodos visam, sobretudo, evitar o aumento da pigmentação e do tamanho das lesões, promovendo estabilidade e não a cura. 

O laser, um dos procedimentos mais comuns para a doença, tem efeito rápido, não deixa marcas e pode ser feito em pele bronzeada. Porém, a médica ressalta que o tratamento do melasma é um conjunto de medidas para clarear, estabilizar e impedir que o pigmento volte. Dessa forma, é primordial orientar aos clientes que os cuidados precisam ser contínuos, já que a patologia é recorrente, principalmente quando há exposição solar.

Dra. Angélica ainda informa que, atualmente, existe uma gama muito grande de técnicas como o peeling em 3D que conta com ótima ação clareadora. Outra alternativa é o laser frio que, além de melhorar a pigmentação do melasma, entrega mais qualidade para a pele, fechando os poros e amenizando as olheiras.

“O correto é sempre acompanhar para não aumentar ou pigmentar mais. Geralmente, fazemos tratamentos combinados com cremes, injetáveis e lasers para melhorar ao máximo a pele do paciente. E o benefício de oferecer essas opções na clínica é que as pessoas começam a ter uma melhora global da qualidade da pele, englobando até questões como envelhecimento e a flacidez”, adiciona. 

Oriente seus pacientes: cuidados pré e pós-procedimento 

A dermatologista comenta que os principais cuidados incluem o uso adequado de protetor solar oral, físico e químico, na frequência e quantidade certa. É essencial mostrar ao paciente para aplicar o produto no mínimo três vezes ao dia e, ao se expor ao sol, a utilização deve ser de 2 em 2 horas. Além disso, é importante recomendar que a exposição solar seja evitada após o procedimento, pois o raio infravermelho também pigmenta a pele.

Dra. Angélica ainda acrescenta que, antes de iniciar o tratamento para o melasma, é fundamental preparar a pele, visto que existem alguns componentes que estabilizam a produção de pigmento, que é a melanina, para evitar o efeito rebote.  

“Já no pós, como sabemos que em algumas peles os melasmas são muito reativos, é imprescindível ter um monitoramento dos clientes para controlar essa reação”, finaliza.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *