Estética masculina: homens também apresentam manchas escuras do melasma

Estética masculina: homens também apresentam manchas escuras do melasma

Não é segredo para ninguém que o público feminino é o que mais consome produtos de beleza e mais se preocupa com os cuidados da pele. Nas clínicas e consultórios, dermatologistas podem constatar que as mulheres são maioria entre os pacientes que buscam por tratamentos e orientações. Entretanto, os problemas de pele se manifestam em ambos os sexos, sem distinção, e o melasma é um exemplo disso.

Trata-se de uma dermatose caracterizada por manchas escuras ou acastanhadas – geralmente com o padrão bilateral – que surgem na face, especialmente em locais como a testa, as maçãs do rosto, os lábios e o queixo. Acomete mais as mulheres, devido às alterações hormonais, mas os homens também sofrem com as manchas, principalmente, devido ao excesso de exposição ao sol. 

De acordo com dados da Campanha Nacional do Câncer da Pele da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), realizada em dezembro de 2019, mais de 60% dos brasileiros não usam nenhum tipo de proteção solar na pele no dia a dia. Apesar dessa estatística, o quadro de melasma pode ser evitado e tratado com o uso constante de protetor solar. Entretanto, por uma questão de estereótipos, a resistência e a baixa adesão do público masculino ao uso contínuo de cremes e protetores pode ser prejudicial para o sucesso do tratamento. 

“O principal fator desencadeante do melasma é, sem dúvida, a radiação UV. Dessa maneira, o uso frequente de filtro solar com FPS 50 é importante para evitar o problema. Porém, muitos homens ainda são resistentes ao uso diário do produto”, explica o Dr. Daniel Cassiano, dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica e cofundador da clínica GRU Saúde.

Nesse sentido, o especialista aponta como os profissionais podem orientar os pacientes homens sobre a importância dos cuidados. “Mesmo em tratamentos, eles buscam regimes de cuidados mais simples e menos complicados. É importante ressaltar que os pacientes do sexo masculino com melasma precisam entender a necessidade de usar proteção solar durante o tratamento e para prevenir recorrências futuras”, destaca o médico.

Tratando e prevenindo

Embora a prevalência global de melasma seja desconhecida, a incidência varia de acordo com fatores como etnia, tipo de pele e exposição ao sol, confirmando que o problema é mais comum em pessoas com fototipos mais altos e com herança hispânica, asiática e africana.

A base do tratamento é domiciliar, segundo o Dr. Daniel. “O paciente deve usar o filtro solar frequentemente associado ao clareador tópico. O protetor solar deve ser específico para o tipo de pele do homem, que costuma ser mais oleosa. Então, as formas em gel e oil free são as mais recomendadas”, diz o médico. “Para pacientes que gostam de uma rotina de pele mais extensa, podemos associar algum antioxidante tópico, como a vitamina C, antes do filtro para otimizar os resultados”, completa.

Para uso em consultório, alguns produtos da linha Skinox, da Skymedic, são altamente recomendados. O Meso Ox White, por exemplo, contém vitamina C em sua composição e uma associação de ativos clareadores para melasma e manchas hipercrômicas. 

Já o Skinox Profissional Peeling Dark Spots é perfeito para atuar sobre os aspectos melânicos e vasculares. Ainda dentro da linha Dark Spots, o Skinox Profissional Dark Spots Mask, como o nome já diz, é uma máscara pós-peeling com forte atuação no melasma, reduzindo de forma gradativa, mas intensamente. E para complementar o tratamento em casa, o Serum Home Care Fotoskinox atua em todos os aspectos do melasma e mantendo-o controlado. Os itens mencionados, quando usados juntamente com a máscara Fotoage, proporcionam resultados ainda mais efetivos.

Demais cuidados com o melasma no público masculino

Aos pacientes dispostos a tratar o melasma da melhor forma, os dermatologistas podem ainda indicar a realização de procedimentos complementares, de modo a intensificar a redução das manchas no rosto. “Medicações via oral e procedimentos como laser, peeling e microagulhamento, que ajudarão a fazer o controle da pigmentação, na medida em que atuam nas células produtoras de melanina, interrompendo a sua produção excessiva”, diz o especialista.

Os peelings químicos também são componentes comuns do tratamento do melasma, mas em pacientes com pele mais escura há risco maior de efeito rebote com hiperpigmentação pós-inflamatória.

Consulte o catálogo da Ensofill e conheça os melhores produtos do mercado para o tratamento do melasma. Solicite mais informações aos nossos representantes e faça o seu pedido!

Crédito da Imagem: Moyo Studio – iStock

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *